Registros Akáshicos

Registros Akáshicos: o que são e como acessá-los?

A palavra “akasha” deriva do sânscrito e significa éter, uma substância sutil que permeia todo o universo. O akasha possui um campo que armazena a vibração de absolutamente todos os eventos passados, presentes e futuros,  acumulando a marca energética de cada alma e de toda a criação, num nível multi-dimensional.

Ao acessarmos os Registros Akáshicos, entramos em contato com um campo de sabedoria na qual nossos Mestres se comunicam  conosco de forma muito amorosa, permitindo uma maior compreensão do nosso momento atual e ampliação da consciência.

Eu já tinha ouvido falar sobre esse termo em alguns livros, mais foi somente neste ano que me aprofundei e fiquei encantada com a profundidade e assertividade desse campo. Na época, fiz uma leitura com a Fernanda Barbieri e ela traduziu para mim aspectos muitos profundos da minha alma, mesmo sem conhecer em nada as minhas motivações ou história. Consegui validar muitos aspectos que já eram familiares a mim e obtive muita clareza de vários aspectos muito importantes naquele momento. Ao final da leitura, eu praticamente não tinha o que perguntar, pois tudo já havia sido respondido naqueles 20 minutos.

A partir daí comecei a devorar diversos livros sobre o assunto. Li todos os livros da Linda Howe (How to Read the Akashic Records / Healing Through the Akashic Records / Discover Your Soul’s Path Through the Akashic Records) e ao aprender a técnica com os livros e depois com o curso presencial da Fernanda, comecei a aplicar em mim mesma e em pessoas próximas.

Acessar o campo do seu Registro Akáshico é algo muito especial! Imagens, símbolos e mensagens fluem naturalmente e você se torna canal de uma consciência maior de muita sabedoria e amor. O conteúdo flui de forma muito leve, acolhedora, amorosa e livre de julgamento. É um campo de tanto amor e sabedoria que você até perde um pouco a noção do tempo e espaço. Certa vez acessei os registros para uma amiga por meio de áudio, na minha percepção o áudio não tinha durado mais que 10 minutos. Tamanha foi minha supresa quando ao pausar vi que estava já nos 40 minutos! É tão mágico se conectar com essa energia que o tempo passa completamente despercebido.

Num outro momento, acessei os meus próprios registros a fim de obter maior consciência em relação a um assunto que não estava conseguindo digerir muito bem. Gravei o conteúdo e depois fui ouvindo e refletindo cada ponto trazido. De cara, meu ego não concordou em NADA com o que foi apresentado. Fiquei até um pouco irritada com a mensagem e comecei a justificar para mim mesma que talvez eu tivesse “lido errado” ou distorcido o conteúdo. Dias depois, tudo aquilo que eu havia acessado começou a se apresentar na minha realidade externa, e uma situação atrás da outra foi confirmando todos os pontos levantados na leitura, convidando o meu ego a acolher SIM aquilo que eu não queria encarar e admitir.

É por isso que digo que muitas vezes os registros não trazem aquilo que queremos ouvir, mas sim aquilo  precisamos ouvir, ver, integrar e acolher — e nem sempre isso vai ser confortável! 🙂 Além disso, cada vez que ouvimos o conteúdo podemos extrair uma percepção diferente, tal como quando lemos um livro pela segunda vez. As mensagens são atemporais!

Vou fazer um pequeno “F.A.Q” abaixo com as principais dúvidas que as pessoas tem em relação aos Registros Akáshicos:

  • Como os registros podem ser acessados?

Qualquer pessoa pode acessar os Registros Akáshicos e há várias formas de se fazer isso. Pode ser poder meio de orações, meditações, pela intenção… A meu ver, estamos sempre em comunhão com o Todo, e uma verdadeira intenção de mergulhar no nosso Ser abre espaço para que nosso mestre interior se revele.

De toda forma, há cursos e livros que sistematizam e dão maior embasamento ao processo. Eu por exemplo fiz um curso com a Fernanda Barbieiri da Consultoria do Ser e também aprofundei o assunto nos livros da Linda Howe — num próximo post escrevo sobre cada um desses livros!

Nós podemos acessar os nossos próprios registros e também o de outras pessoas, desde que estas autorizem. 🙂
Quando vou acessar os registros, busco meditar, me centrar e fazer uma oração de abertura me conectando com a pessoa. Isso não precisa ser feito presencialmente e tampouco preciso conhecer a pessoa. Ter o nome completo e data de nascimento já é suficiente para que essa conexão ocorra. Reforço mais uma vez que a pessoa a receber a leitura precisa querer e autorizar, para que o acesso ao seu campo seja efetivo.

  • O que os registros podem revelar?

O conteúdo dos registros é formatado de acordo o momento da jornada da alma do indivíduo. Ou seja, o acesso é feito somente a uma parcela daquilo que é relevante para o atual contexto da vida do indivíduo, e quem determina isso são os próprios Mestres da pessoa. As mensagens trazem clareza para aquilo que precisa ser visto, integrado e acolhido.

As mensagens tem como objetivo promover autoconhecimento e expansão da consicência. Os registros não são “oráculos” e não trazem respostas como “sim”, “não” ou “quando”, até porque eles são atemporais. Ou seja: não espere uma previsão do futuro!

  • Eu vou acessar ou ter acesso a informação de uma vida passada / realidade paralela?

Não necessariamente, apenas se isso for pertinente para o seu momento.

  • Eu preciso acreditar em vidas passadas  / realidades paralelas para acessar os registros?

Não. Conteúdos que chegam por meio de imagens ou sensações podem ser memórias ancestrais ou símbolos. Na realidade, o foco não deve estar em saber a origem disto, mas sim o que isto simboliza para você no agora.

  • É associado a alguma religião?

Não.

  • Eu preciso fazer uma pergunta?

Não necessariamente. Muitas vezes gosto de deixar o tema aberto justamente para que se revele a temática mais latente do momento. No entanto, é possível sim direcionar uma pergunta específica para obter maior clareza de um aspecto da sua vida.

  • Como devo formular a minha pergunta?

Caso tenha uma pergunta, esta deve ser aberta e focada na expansão da sua alma. Lembrando que a leitura não faz menção a eventos futuros e tampouco diz qual decisão você deve ou não tomar. No máximo, são trazidas sugestões amorosas com a finalidade de apoiá-lo no seu processo de crescimento e maior conexão coma sua alma.

Exemplos de perguntas que podem ser feitas:

    • De que forma o que estou vivenciando agora está auxiliando no meu crescimento?
    • O que me impede de atingir o meu potencial?
    • O que me bloqueia nesta situação?
    • Qual virtude devo desenvolver ou continuar praticando?
    • Por que estou vivendo esta experiência e quais aprendizados posso acessar por meio dela?
    • Quais questões me prendem a esta situação ou relacionamento?
    • O que eu posso fazer para obter maior clareza nesta situação?
    • Há algo mais que eu deva saber sobre esta situação?
    • O que eu aprendo e ganho com essa escolha?

Sem comentários

    Deixe um comentário